12.08.2016
0 Comentários
Empreender

O Possível Fim do Snapchat e A Importância de Ter Um Blog

snapchat_venda_facebook_porqueterumblog_negocio

 

Hoje, no dia 12 de agosto, abro o site de notícias da ABC News e me deparo com o anúncio de que o sr. Mark Zuckerberg (para quem não conhece, CEO do Facebook e do Instagram) comprou o Snapchat por inacreditáveis 5 bilhões de dólares. Para quem quiser saber mais sobre o Snap, eu tinha acabado de escrever um artigo super completo sobre o uso dele para negócios. Mas sempre fiquei com um pé atrás com essa história de atirar para todos os lados, em mil mídias sociais diferentes. Embora isso te dê a vantagem de conversar com públicos diferentes (a pessoa que te segue no Facebook pode ser diferente daquela que te segue no Instagram ou no Snapchat, por exemplo), você acaba perdendo um pouco o seu foco na produção de conteúdo de qualidade ao se tornar 100% multi-canal.

Além disso, eu já sabia que o poderoso chefão do Facebook já estava atrás do Snapchat há pelo menos um ou dois anos. Seria questão de tempo até conseguir fechar esse negócio: eu tenho a impressão de que esse cara é ruthless (implacável) desde que li O Clique de 1 Bilhão de Dólares, que conta a história da criação e venda do Instagram ao Facebook. Foi no anúncio da criação do Instagram Stories, uma funcionalidade no Instagram idêntica ao Snapchat, que eu tive certeza: ou ele já tinha fechado negócio ou essa tinha sido a última cartada da negociação entre as empresas. Não deu outra: poucos dias depois do lançamento do Stories, vem o anúncio da venda.

Mas e aí? E nós com isso?!

Pois é. Junto com o anúncio da venda, o Facebook anunciou ainda o seguinte: o Snapchat funcionará por apenas mais um ano, provavelmente porque já deve ter fechado contratos de publicidade na sua plataforma para esse período e não quer quebrar esses contratos e pagar multa.

Ou seja: se você está investindo tempo, energia e conteúdo no Snapchat, para juntar seguidores, para fechar vendas por lá… em poucos meses, essa sua audiência precisa ser urgentemente migrada para outro canal ou você perderá tudo.

Você entendeu agora como as mídias sociais funcionam?

Enquanto você basear a comunicação digital do seu negócio em uma plataforma que não é sua, como um site só seu, você pode continuar vivendo na insegurança de ver seu negócio ter prejuízo da noite para o dia, após uma venda como essa.

A importância de ter um lugar só seu, um endereço próprio na internet, onde você tenha conteúdo de qualidade, é ainda mais relevante nesses dias, onde as empresas decidem o que querem com relação à relevância do que é mostrado para as pessoas nessas mídias sociais. Onde a tendência é aparecer mais se pagar mais.

Se for para produzir conteúdo e ser lembrada na internet, que seja em um espaço onde você saiba que não perderá sua autoridade e posição de destaque na internet.

Imagine se o Instagram acaba de uma hora para outra.

O que vai acontecer com negócios exclusivamente baseados nessa plataforma?

Antes que você diga que isso é impossível, quero te lembrar que o Fotolog era a plataforma de publicação de fotos na internet nos anos 2000. O Fotolog foi perdendo relevância e fechou. O Orkut também fechou e as pessoas diziam que isso também era impossível – até que um concorrente chegasse, um tal de Facebook. Conhece?

Por tudo isso, eu tenho três conselhos para te dar:

  1. Invista agora em um domínio próprio e em um site-blog onde você possa produzir conteúdo de qualidade para fidelizar e conquistar clientes com seus posts, suas informações relevantes e seu carisma;
  2. Dedique-se a pensar e elaborar uma estratégia de conteúdo: faça diferente da maioria! Procure de verdade entender o que a sua cliente procura na internet e como fazer para produzir os textos, fotos e materiais para download que ela precisa e gostaria de ler na internet;
  3. Concentre-se em crescer primeiro uma mídia social e depois passe para outra. Não gosto de ter quinhentas mídias sociais ao mesmo tempo, já disse, mas em épocas de extinção de mídias sociais de um dia para o outro, recomendo fortemente ter duas mídias – Instagram e Facebook, no mínimo.

Bom, e agora? Agora tem post quentinho saindo na segunda feira aqui sobre as novidades no Instagram e como você pode usá-las ao seu favor. Ok? Beijo, eu te vejo na segunda! :)

11.08.2016
0 Comentários
Empreender

Workshop de Fotografia de Família e Gestante Com Flavia Soares!

Se tem uma paixão minha que acho que nunca vou perder é a fotografia. Ainda que eu não fotografe mais profissionalmente com a frequência de antes, ainda me pego fazendo alguns trabalhos como fotógrafa – especialmente com crianças e famílias – e amo cada momento de um ensaio ou festa atrás das lentes.

Então já sabem que eu falo de fotografia com bastante propriedade, né? E não tenho o menor problema de falar e indicar o trabalho de outras colegas fotógrafas que tem um trabalho belíssimo. É o caso da Flavia Soares. A Flavia fotografou o nosso II Encontro Empreendedoras e A Menina da Foto e nos aproximamos mais depois disso. Quando ela me contou que ia fazer um workshop de fotografia de família e gestantes, junto com um módulo de marketing digital, eu fiz questão de divulgar por aqui! :)

Olhem que fotos mais lindas:

 

portfolio_2016_0986

portfolio_2016_0987

portfolio_2016_0988

portfolio_2016_0989

portfolio_2016_0990

portfolio_2016_0993

portfolio_2016_0991

portfolio_2016_0994

portfolio_2016_0992

Quis saber um pouco mais sobre o trabalho e a história da Flávia e por isso fiz algumas perguntas, que ela super topou responder:

1 – Me conta um pouco de você e da sua história como fotógrafa:

Tinha uma câmera básica e sempre que alguém via minhas fotos, elogiavam. Como tenho noção de desenho, entendia um pouco de sombras e acredito que meu senso estético é apurado. Resolvi fazer um curso de fotografia (na época era filme, ainda rs). Uma amiga ia casar e ficava me pedindo para fotografar o casamento dela. Nunca dei muita atenção porque nunca tinha feito isso na vida. Chegando próximo à data do evento, ela me falou: – Será vc! E a ficha caiu. Depois desse casamento, eu postei algumas fotos nas redes e a aceitação foi muito grande. Comecei a fotografar ensaios de grávidas, famílias e também casamentos. Depois disso, eu vivo de fotografia desde 2010.

2 – O que você sente quando fotografa grávidas? E suas famílias?

É um momento único que deve ser registrado. Não trato minhas clientes como “grávidas”e sim pelo nome. Quero conhecer seus gostos, o que elas esperam das fotos. Me sinto responsável por um dos momentos mais felizes das pessoas. Serei lembrada para sempre.

3 – Qual a principal dica que você dá para a fotógrafa que está começando agora nesse mercado?

Fotografe as pessoas como elas são, em seu ambiente, no seu estilo de vida. Seja original. Quanto à técnica, é preciso que estude a todo tempo. O mercado está cada vez mais recheado de fotógrafos competentes. É preciso que o cliente se identifique com seu olhar. Cuide para que seja criativo, sempre.

4 – Como surgiu a ideia do workshop? Para quem ele se destina?

Na verdade, toda vez que divulgo alguma foto de grávida, recebo mensagens perguntando sobre Workshop. Como fotografo muitas grávidas por mês, cerca de 10 ensaios, eu criei algumas técnicas que facilitam meu trabalho. E hoje acredito que posso ajudar alguns fotógrafos em ensaios de família.

Viu que eu perguntei aqui em cima sobre um workshop? Pois é! A Flavia organizou dois dias intensos de aprendizado em direção de fotografia de famílias e gestantes, mais um módulo incrível de marketing digital e vendas, que é super importante para nosso negócio como fotógrafos. O workshop vai ser delicioso, em um lugar lindo na região serrana do Rio, na pousada A Casa é Sua. Imagina só passar dois dias em um lugar aconchegante, com um visual de tirar o fôlego, pronto para fotografias belíssimas e, além disso, aprender tudo o que você precisa com a Flavia para se fortalecer nessa área da fotografia?

Curtiu? Corre que as vagas são limitadas para a Flavia dar atenção exclusiva a você. Veja no site da Flavia mais informações sobre o workshop e não deixe para fazer sua inscrição depois, a hora é essa. Beijo grande! :)

04.08.2016
2 Comentários
Empreender, Lifestyle

O Documentário de Tony Robbins: I Am Not Your Guru

6 Lições Que Você Deve Aprender com Tony Robbins (1)

 

Não sei vocês, mas eu amo esse cara. A primeira vez que eu o vi foi em uma entrevista que ele deu para a Marie Forleo, no Marie TV. E eu fiquei apaixonada (sem segundas intenções, gente) por aquele gigante (já viram ele perto da Marie?!) que tem a maior energia do mundo. Sério, ele fala e parece que explodem faíscas dentro dos olhos dele. Qualquer pessoa que veja Tony Robbins falando me entende. Mas quem é esse tal de Tony Robbins?

Tony Robbins é escritor, mentor e palestrante motivacional, um dos mais famosos dos Estados Unidos. Ele tem 39 anos e é o chairman de uma holding criada por ele mesmo e que hoje vende mais de 5 bilhões de dólares por ano. Já foi apontado como um dos “Top 200 Gurus de Negócios” pela Harvard. Ele já tem 5 bestsellers publicados e criou vários programas online e presenciais de desenvolvimento pessoal e profissional.

O que mais impulsiona Tony? Esse cara criou um império do nada e no meio da dor. Foi a dor e o sofrimento que viveu com a mãe abusiva e sem grana que fizeram com que ele decidisse: “já que ele hoje não existe, eu preciso criar um Tony Robbins invencível”. Acho impressionante como ele assumiu as rédeas da própria vida, como ele decidiu que faria de tudo para se fortalecer e criar aquela realidade de abundância que ele queria para sua vida.

E o poder pessoal que esse cara tem é unbelievable, completamente inacreditável. E quem vir o documentário “I Am Not Your Guru” vai entender que poder de mudar a vida das pessoas é esse. O documentário foi feito pelo diretor Joe Berlinger e é uma cobertura do evento mais famoso do Tony, o Date With Destiny (Encontro com O Destino, em português).

É um evento de life coaching (embora eu ache as técnicas dele provocativas e indutivas demais para serem consideradas coaching, muitos o chamam de coach… eu acho que ele é uma mistura de coach e mentor), com seis dias intensos de duração. As pessoas não voltam para a casa no fim dos exercícios: elas são agrupadas em pequenas turmas e convivem intensamente até o fim do Encontro. Fazem realmente exercícios de buscas internas, auto-questionamentos poderosos e o Encontro parece sacudir qualquer um que esteja lá de coração e mente abertas.

O comprometimento de Tony em mudar a vida das pessoas é incrível. Acho que muito da força que ele tem hoje vem justamente dessa firmeza de propósito e foco na missão de trazer mudança significativa, profunda e positiva para quem o assiste e participa dos seus treinamentos. Ele fala do seu trabalho de forma muito consciente, apaixonada e até muitas vezes, emocionada. Se você sabe inglês, assiste aqui a essa entrevista (a mais recente que ele deu) para a Marie Forleo, no canal dela, logo depois do lançamento do documentário:

Mas e aí, vale a pena ver o documentário?

Vale, vale muito a pena. Se você trabalha ou pretende trabalhar com coaching, precisa assistir (e, como eu falei, faça sempre a reflexão sobre o que é coaching ali no evento e o que não é). Se você quer insights sobre força de vontade, poder pessoal e mudança de vida, também vale muito. Você pode se emocionar de verdade ao ver todo aquele evento acontecendo diante dos seus olhos.

E o que aprender com Tony Robbins?

Pensei sobre isso enquanto escrevia esse post. O que eu aprendo toda vez que o vejo falar ou que leio um livro dele?

Crie a melhor versão de você mesma. É difícil imaginar que um gigante fortão como ele sofria abusos emocionais e até físicos da própria mãe, mas às vezes toleramos muita coisa ruim por amor. Então o que ele fazia? Isso me marcou. Tony diz que acordava todos os dias, ia correr e enquanto corria, dizia: “I am fucking unstoppable” (eu sou “imparável”… essa palavra existe no português de Portugal, mas não existe no Português do Brasil).

Ele fala em várias entrevistas e nos seus livros que ele deliberadamente forçou toda a vontade dele, empurrou toda a sua energia ao máximo, para se aperfeiçoar, se aprimorar, se motivar todos os dias e ter uma melhor visão de si mesmo. Quantas de nós fazemos isso de verdade? Quantas que me leem agora podem dizer que estão 100% empenhadas em se tornarem melhores versões de si mesmas? E o que aconteceria, o que poderíamos realizar se fizéssemos isso? Pensa nessa pergunta e nessa possibilidade. :)

Assuma responsabilidade por sua vida. Um verdadeiro ensinamento de coaching. Tony mostra o tempo todo que pertence a nós e somente a nós o poder de mudar as nossas vidas. Tudo o que é ruim foi admitido por nós em nossas vidas e muitas vezes isso acontece porque não queremos assumir o controle do nosso caminho e nos responsabilizar por nossas fragilidades e insucessos.

Viramos adultas na idade, mas ainda precisamos nos tornar adultas na mente e no coração, tomando a decisão consciente e constante de sermos responsáveis pelo que sentimos e por todas as nossas ações. As ações do outro não são controláveis, mas o que sentimos em relação a elas e o que fazemos, isso tudo é nosso e apenas nosso.

Encontre o que preenche você. Não adianta você ter rios de dinheiro, ter fama, ter sucesso e status… e não se sentir realmente realizado na sua vida. A realização interna é maior do que simplesmente ter meios de sobreviver, é o que diferencia você de quem vive no piloto automático da vida.

Tony estimula qualquer um a fazer essa pergunta e respondê-la: o que me motiva? O que me faz acordar de manhã todos os dias empolgada? O que me faz gritar de felicidade? E o que eu preciso fazer todos os dias, pouco a pouco, para viver essa sensação de preenchimento, de realização, todos os dias da minha vida?

A dor é sua amiga. Uma das maiores lições de Tony Robbins é que a dor é a maior parceira de quem quer ser melhor, de quem quer se superar e chegar ao sucesso. O tempo todo ele mostra que você pode e deve aprender com ela, porque ela te passa uma mensagem do que está errado em você e na sua vida.

Assuma a responsabilidade de entender a sua dor e questioná-la: por que você acontece? Por que eu estou sentindo você? O que eu preciso mudar em mim para parar de sentir você?

Tony e vários outros modelos de sucesso são claramente frutos da dor em algum momento da sua história pessoal. Existe mesmo o fator de superação na fórmula do sucesso de várias pessoas que são admiradas e poderosas no mundo dos negócios e você deveria observar isso. Não falo só de questões mais traumáticas. Como você pode fazer com que suas dificuldades hoje sirvam de trampolim para uma fase melhor da sua vida?

Faça a coisa certa. Eu admiro a busca dele pela verdade interna do ser humano e como ele liga a verdade interna de cada um a uma necessidade legítima de não violar outras pessoas também. Ele passa o documentário dizendo “Do The Right Thing”( Faça a coisa certa), mas não é a coisa certa apenas para os outros, é a coisa certa para você também. É o que vai honrar as pessoas ao seu redor, na medida que não desrespeite você e seu espaço. E é também o que você sente no seu coração que é o certo e você tenta ignorar há muito tempo.

Leve a esperança às outras pessoas. Ainda que seu trabalho não seja diretamente ligado à mudança de vida, como você pode fazer a vida das outras pessoas ao seu redor mais criativa, mais alegre, mais inspirada? Acredite, quando você começar a pensar nisso, também vai começar a presenciar na sua vida mais criatividade, alegria e inspiração. É impressionante o que começa a acontecer quando a gente decide de forma consciente trazer mais positividade para a vida de outras pessoas! :)

Não se esqueça: o documentário I Am Not Your Guru está disponível no Netflix desde julho. Imperdível!

Topo